China desembolsa 85,3 milhões para apoiar Moçambique com infraestruturas
04/06/2018 - 13h37 em Mundo

China desembolsa 85,3 milhões para apoiar Moçambique com infraestruturas

 

O anúncio foi feito após a assinatura de acordos entre a vice-ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Maria Lucas, e o vice-ministro do Comércio da China, Qien Keming, que visita Moçambique desde sábado.

Segundo o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Belmiro Malate, no primeiro memorando, o Governo chinês compromete-se a construir um instituto técnico-profissional na Gorongosa, no centro de Moçambique, uma instituição que se espera possa formar 740 pessoas por ano.

"A intenção é que a escola beneficie a juventude da zona centro de Moçambique", explicou Belmiro Malate, sem, no entanto, avançar detalhes sobre o custo e a data de implementação do projeto.

No segundo memorando, ainda segundo Malate, a China vai apoiar Moçambique na assistência técnica a quadros para a manutenção do Estádio Nacional de Zimpeto, num projeto em que se prevê que o país asiático envie engenheiros para formar profissionais moçambicanos por um período de três anos.

O terceiro memorando diz respeito ao setor agrário, em que o Governo chinês se compromete a enviar profissionais para formar quadros de instituições moçambicanas em matérias ligadas a investigação e produção na área de agricultura, também por três anos.

O último acordo da continuação ao projeto de construção do Aeroporto de Xai-Xai, no sul do país, depois de o país asiático ter anunciado um financiamento de cerca de 25 milhões de euros para a infraestrutura, apoiando agora Moçambique na aplicação.

"Hoje, a China figura entre um dos parceiros mais importantes que nós temos", concluiu o porta-voz, sem avançar datas para o arranque das atividades.

O valor total dos quatro projetos é de 100 milhões de dólares (85,3 milhões de euros).

 

A visita do vice-ministro do Comércio da China, que termina na terça-feira, surge no âmbito da sexta sessão da Comissão Conjunta para a Cooperação Económica entre os dois países.

 

COMENTÁRIOS